Dia Mundial do Doador de Sangue: eu posso doar?

14 de junho é o Dia Mundial do Doador de Sangue. Esse é um ato que pode salvar até quatro vidas, mas que ainda é motivo de medo e falta de conhecimento no Brasil. Por isso, vamos ver agora quais são as regras para se doar sangue no país.

Uma pessoa pode doar sangue se tiver de 16 a 69 anos e pesar mais de 50 quilos. Há algumas exceções, como gravidez, algumas substâncias e problemas de saúde. Outra restrição que existia era para homens que tiveram relação sexual com outro homem, mas isso acabou no início de 2020.

O que é preciso?

Para fazer a doação, é necessário apresentar um documento oficial com foto. Há também alguns requisitos a se preencher:

  • estar bem alimentado, evitando alimentos gordurosos 3 horas antes da doação;
  • se for doar após o almoço, esperar 2 horas;
  • caso tenha de 60 a 69 anos, só doar se já o tiver feito antes dos 60;
  • até 4 doações por ano para homens e até 3 para mulheres;
  • pelo menos 2 meses entre uma doação e outra para homens e pelo menos 3 meses para mulheres.

Doenças e condições de saúde

São várias as doenças que deixam uma pessoa sem poder doar sangue. Em alguns casos, isso é temporário.

Quem está com febre ou sintomas de gripe ou resfriado deve esperar sete dias depois de os sintomas sumirem. Uma pessoa com conjuntivite, diarreia ou suspeita de covid-19 também fica um tempo sem poder doar.

Se você tem diabetes tipo 1 e está usando insulina, não doe, pois pode vir uma reação capaz de afetar sua saúde. Mas, se for tipo 2, você pode doar seu sangue, desde que o diabetes esteja sob controle. Pessoas com pré-diabetes também podem doar, sem problemas.

Em caso de diabetes gestacional, ou se a pessoa está se tratando da epilepsia, não se pode doar.

Quem tem hipotireoidismo pode doar, se a doença estiver controlada. Mas quem está tratando seu oposto, o hipertireoidismo, não pode doar de jeito nenhum.

Vale observar ainda as condições definitivas, nas quais uma pessoa nunca poderá doar:

  • evidência do HIV (AIDS), de hepatite B ou C, da doença de Chagas ou do vírus HTLV 1;
  • mal de Parkinson;
  • problemas no coração, rim ou fígado;
  • ter, ou ter tido, doenças como cânceres, hanseníase, barriga d’água, leishmaniose etc.;
  • problemas com a coagulação do sangue;
  • diabetes com complicações para os vasos sanguíneos;
  • transplante de órgão ou medula;
  • pesar menos de 50 quilos.

Gravidez, amamentação e menstruação

A mulher não pode doar enquanto estiver grávida. Depois do parto, o tempo de espera depende da operação. Se foi parto normal, ela deve esperar 90 dias; se foi cesariana, 180 dias. Para aquelas que estão menstruadas, não há problema em doar, desde que não estejam com anemia.

Substâncias e implantes

Quem fez uso de bebida alcoólica ou alguma droga capaz de alterar o sistema nervoso está proibido de doar por 12 horas. Já uma pessoa que removeu dentes ou fez canal deve esperar 7 dias. Para quem colocou um piercing ou tatuagem, a espera é ainda mais longa: 12 meses.

Procedimentos e tratamentos

Se você teve apendicite, hérnia, varizes ou removeu as amígdalas, terá de esperar 3 meses para doar. Em caso de retirada da vesícula biliar, útero, rins, tireoide, cólon ou de politraumatismo sem sequelas graves, a espera será de 6 meses.

Pessoas que fizeram cirurgia de pequeno ou médio porte devem aguardar 3 meses. Para cirurgias de grande porte, o tempo pode variar conforme a operação, mas deve ser de até 1 ano. Já quem usou o endoscópio deve esperar 6 meses.

Outras restrições temporárias

Quem já passou por transfusão de sangue deve esperar 1 ano. No caso de vacinas, cada uma dá um tempo diferente a se esperar. Veja, por exemplo, as vacinas contra a covid-19. Se tomou a CoronaVac, você deverá esperar 2 dias; se foi AstraZeneca, Pfizer ou Janssen, 7 dias.

Ter viajado a um local com surto de alguma doença, como malária ou febre amarela, pode também gerar um impedimento provisório. Por exemplo, quem esteve na Região Norte, no Maranhão ou em Mato Grosso só pode doar pelo menos 12 meses depois.

12 meses é também o tempo a se esperar para quem se expôs a alguma situação de risco para DSTs. Exemplo: contato sexual com quem está com o vírus da AIDS.

Quem recebe o sangue?

Em geral, as pessoas que mais precisam das doações são aquelas que sofreram algum acidente ou fazem algum tratamento ou cirurgia. Um exemplo é quem tem alguma doença crônica grave, como a falciforme.

Fale com seu médico e tire suas dúvidas!

Fontes de referência: VivaBem, Ministério da Saúde

Compartilhe:

Você também pode gostar destes

Skip to content