Acidentes domésticos com idosos: primeiros socorros

Segundo dados do Ministério da Saúde, 1 em cada 3 pessoas com mais de 65 anos sofre uma queda por ano. É mais comum que esses acidentes aconteçam dentro de casa.

Não são só quedas: também há queimaduras e engasgamentos. São muitas as causas possíveis: fraqueza muscular, perda de equilíbrio e baixa visão estão entre elas.

Os acidentes podem ter consequências graves. Por isso, parentes e cuidadores devem sempre estar atentos a situações delicadas. Quando aparece uma emergência, a primeira coisa é manter a calma e passá-la a quem estiver mal. Vejamos agora a melhor forma de cuidar de cada situação.

Trauma na cabeça

Se na queda aparecer uma saliência na cabeça, o famoso “galo”, uma bolsa de gelo pode trazer alívio. Já se afundar o crânio ou houver suspeita de lesão no pescoço, a dica é evitar mexer a pessoa e procurar socorro. Não tente consertar o crânio sozinho.

Em alguns casos, é preciso levar o idoso ao hospital, ou procurar o pronto-socorro. São aqueles em que a cabeça está sangrando e aparece algum sintoma como dor de cabeça forte, desmaio ou visão dobrada.

Caso não haja nenhum desses sintomas, limpe a ferida e estanque o sangue. Se for um machucado leve, basta apenas usar água e sabão e remover as sujeiras. Mas se for uma ferida mais profunda, use a bolsa de gelo e procure o médico.

Engasgamento

No caso de uma pessoa engasgada, o tratamento depende se ela estiver consciente. Se for o caso, faça a manobra de Heimlich. Aqui está o passo a passo:

  • Segure a pessoa por trás, passando os braços em volta dela.
  • Feche uma das mãos e a coloque acima do umbigo da pessoa. Segure-a com a outra mão.
  • Aperte a barriga do idoso de forma rápida e forte, de baixo para cima. Repita 5 vezes.
  • Pare um pouco e depois repita tudo.

Já no caso de uma pessoa inconsciente, a primeira coisa é deitá-la no chão, de barriga para cima. Com cuidado, tente tirar com os dedos o objeto que causou o engasgo. Depois, sente-se em uma cadeira e coloque um travesseiro ou almofada sobre os joelhos. Deixe a pessoa deitada no seu colo, com a barriga e o tórax apoiados no travesseiro ou almofada. Aperte a barriga da vítima 5 vezes seguidas, usando seus braços e o peso do seu corpo. Se o idoso não recuperar a consciência, chame o pronto-socorro ou a emergência.

Queda de pressão

Se cair a pressão nas artérias, deitar em um lugar confortável e tomar líquidos aos poucos podem ajudar. Mas o caso pode ser mais grave, com fraqueza, sensação de desmaio e perda de força, por mais de 15 minutos. Se for assim, vá logo ao pronto-socorro.

AVC e derrames

São condições graves e exigem ajuda imediata. Em caso de suspeita, leve a pessoa ao hospital o quanto antes.

Infarto

Dê ao idoso 2 comprimidos de AAS (Aspirina) infantil, se ele não tiver alergia. Depois, leve-o ao hospital ou pronto-socorro. Se necessário, chame a emergência.

Enquanto espera a ambulância, deixe a roupa do socorrido mais solta. Deixe-o deitado e tranquilo, em um lugar confortável e ventilado. Se ele estiver desacordado, faça reanimação cardíaca e respiração boca a boca.

Queimadura

Deixe o local queimado em água fria por 5 minutos. Evite usar pomadas ou qualquer outro produto.

Fique atento também ao grau da queimadura. Cada grau tem um tratamento diferente:

  • 1º grau: atinge só a superfície da pele, deixando-a vermelha e dolorida. Se houver algum incômodo, ofereça analgésicos.
  • 2º grau: pode ser um pouco mais profundo. Aparecem bolhas na pele. Se elas estiverem inteiras, cubra-as com gaze ou pano limpo. Caso arrebentem, use vaselina. Não se esqueça de trocar o curativo todos os dias.
  • 3º grau: é o mais profundo de todos. Ataca todas as camadas da pele, podendo chegar aos ossos. Não causam dor, mas podem trazer deformação. Cubra o local com um pano limpo e leve o doente ao pronto-socorro.

Como evitar acidentes

Vejamos algumas dicas para evitar acidentes em cada cômodo da casa.

Sala: evite tapetes soltos. Mantenha os móveis no lugar onde costumam ficar. Deixe a passagem livre: remova plantas, mesas de centro e outros objetos que podem ser obstáculos. Não deixe fios elétricos soltos pelo caminho. Prefira cadeiras e poltronas com apoio de braço.

Banheiro: é um lugar que se molha muito, ficando assim escorregadio. Coloque um tapete antiderrapante na área de banho. Instale barras de apoio perto do vaso e do chuveiro. Use um assento removível no vaso, para adaptar a altura. Para o box do chuveiro, escolha um material resistente e inquebrável. A cadeira de banho é uma boa dica para quem tem dificuldade de equilíbrio.

Cozinha: ajuste a altura das bancadas para que fique mais confortável. Guarde alimentos, louças e objetos de uso comum em local de fácil acesso. Se derrubar algum líquido no chão, limpe imediatamente. Não use panelas pesadas para cozinhar, pois elas podem cair e causar queimaduras. Ao sair da cozinha, tenha certeza de que as chamas do fogão estão apagadas.

Quarto: deixe a cama ao lado de um abajur ou interruptor. Use uma cama de altura confortável para subir e descer. Mantenha armários e gavetas em altura fácil de alcançar e de abrir. Escolha um colchão adequado para o peso e tamanho do idoso.

Existem ainda algumas medidas para se tomar em toda a casa:

  • ter material antiderrapante nas escadas e rampas;
  • instalar corrimãos nas escadas;
  • garantir a boa iluminação dos ambientes e o fácil acesso aos interruptores;
  • não encerar o chão, nem usar nenhum produto que possa causar escorregões;
  • verificar se há irregularidades no piso;
  • evitar sobrecarga nas tomadas;
  • manter o telefone em local de fácil acesso, para usar em casos de emergência;
  • conferir se as fechaduras abrem por dentro e por fora.

Ajudar não é difícil!

Fontes de referência: Drauzio Varella, Unimed

Compartilhe:

Você também pode gostar destes

Skip to content