Unidade Hospitalar de Tratamento Especializado Covid-19

UNIDADE DE ATENDIMENTO

Exclusivo Covid-19

Desde o início de 2020, o controle da pandemia da COVID-19 tem sido o maior desafio sanitário do Brasil e do mundo. Os primeiros casos de infecção pelo Coronavírus ocorreu em Wuhan, na China no final de 2019. No Brasil a pandemia teve início em fevereiro de 2020, quando foi detectado em São Paulo o primeiro caso da doença, após a confirmação de um teste positivo para o SARS-CoV-2, causador da COVID-19, em um homem que retornou da Itália. Em fevereiro houve a repatriação dos brasileiros que viviam em Wuhan, epicentro da infecção, os quais ficaram isolados em quarentena por 14 dias na Base Aérea de Anápolis, em Goiás. Sob orientações da Organização Mundial de Saúde, medidas com vistas a garantir as condições sanitárias e de proteção social, como o isolamento social, foram adotadas no Brasil e no mundo, para fazer frente às necessidades emergenciais diante da pandemia. O isolamento social tem sido considerado uma importante estratégia para a diminuição de transmissão do novo Coronavírus e contenção da elevação exponencial do número de casos, pois estudos mostraram até então que a transmissão do SAR-CoV-2 ocorre de pessoa a pessoa, sejam elas sintomáticas ou não e que os assintomáticos são fonte de infecção em potencial. O vírus vem se disseminando rapidamente no país, tendo provocado em 2020 mais de 190 mil mortes. O sistema de saúde, em algumas regiões do país, entrou em colapso. Os Estados e Municípios tiveram que criar planos de contingências à medida que o vírus se expandia. Hospitais de campanha tiveram que ser implantados de forma emergencial para fazer frente às necessidades de atendimento à população. Em Curitiba, uma das ações do plano de enfrentamento à pandemia foi a implantação de hospitais e leitos exclusivos para atendimento de pacientes com COVID-19, por meio de parcerias com a rede hospitalar, dentre as quais, com a Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Curitiba. A Irmandade, diante da situação que se apresentava e considerando sua missão de servir, assumiu perante o Município de Curitiba, além de ampliação de leitos na unidade central, o importante desafio de estruturar, em caráter emergencial, uma Unidade Assistencial Complementar com vistas a garantir o atendimento exclusivo em leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) adultos e em leitos clínicos/enfermaria adulto aos usuários do SUS com quadro clínico suspeito ou confirmado de infecção por Coronavírus.
Foto: João Salgado/RPC
A estruturação da referida Unidade foi implementada em aproximadamente 20 (vinte) dias, tendo a Santa Casa de Misericórdia de Curitiba, concentrado todos os esforços no sentido de adequar a área física onde funcionava o Instituto de Medicina do Paraná, para a instalação de 110 leitos, sendo 60 leitos Clínicos e 50 leitos de UTI – Unidade de Terapia Intensiva. Para tal mister a Santa Casa contratou, médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, equipe multidisciplinar (fisioterapeutas, psicólogos, assistentes sociais) e colaboradores para as áreas de apoio e administrativas, totalizando cerca de 500 (quinhentos) profissionais. Adquiriu, em tempo recorde, equipamentos, mobiliários, utensílios, material médico hospitalar, medicamentos e insumos de modo geral, tudo com vistas a iniciar o funcionamento da Unidade no dia 10/07/2020. No período compreendido entre 10 de julho e 31 de dezembro de 2020, esta Unidade Complementar realizou 1.348 internações. Diante do cenário de pandemia, visando medidas preventivas e de contingência com o intuito de proteger a saúde e segurança de seus colaboradores e pacientes, bem como estabelecer fluxos e diretrizes claras à respeito do processo assistencial, a Santa Casa instituiu um Comitê específico, e um Manual de Orientações, Condutas e Normas Técnicas. O referido Manual contendo diversas normas e procedimentos passou a nortear todas as áreas na realização de suas atividades diárias nesse momento caótico.

Unidade de Covid-19

0
Internações
Mesmo atendendo apenas casos da COVID-19, para a abertura da unidade foi necessário planejar a estrutura completa de um hospital, desde a contratação de profissionais, até processos internos, como preparação e fornecimento de alimentação, limpeza e higienização, acessibilidade, fornecimento e higienização de enxoval, segurança e atendimento a familiares”.
0
Internações
0
Leitos
0
Profissionais

EQUIPE

Contando com uma a equipe assistencial, composta por: Coordenações e Supervisores de Enfermagem, Enfermeiros, Técnicos de Enfermagem e demais colaboradores das diversas áreas envolvidas e uma equipe médica de excelência, o Instituto segue enfrentando a Pandemia, ofertando toda assistência aos pacientes, com atendimento humanizado. Para contribuir na ambiência aos profissionais envolvidos nesta linha de trabalho específica de enfrentamento a COVID-19, foram realizadas ações conjuntas com a Pastoral da Saúde e Grupo de Humanização, destacamos, murais com fotos dos colaboradores, momentos de oração com a participação dos pacientes, tenda de cartas, Música Viva para colaboradores e pacientes. Implantação do projeto em conjunto com a ONG NARIZ SOLIDÁRIO com visitas realizadas em todos os setores através de um manequim simulador presencial, ação humanizada com impacto social.

ENFRENTAMENTO – OLHAR AMPLIADO

Situações de crise como a Pandemia da COVID- 19 na magnitude que estamos enfrentando, exigem o estabelecimento de cuidados multiprofissionais. Estes cuidados descrevem uma resposta humana de apoio às pessoas em situação de sofrimento. Todos os profissionais envolvidos no cuidado nas UTI’s devem estar alertas para identificar sinais de sofrimento psicológico em si mesmo, no colega e pacientes. O desenvolvimento de estratégias de atenção e prevenção voltadas ao campo dos laços sociais, das emoções e do comportamento é uma exigência atual e permanente. É importante ter em mente que manter medidas de proteção não significa manter distância emocional. Neste cenário a tecnologia pode ser uma aliada, já que durante a pandemia não está sendo possível manter nenhuma rotina de visita presencial aos pacientes. Pensando também em quando o meio familiar e social influencia na recuperação do doente, a equipe de psicologia do hospital se tornou responsável por intermediar a realização das visitas virtuais, seja ela por meio de vídeo chamada, por ligação de áudio e até mesmo na transmissão de mensagens de áudio enviadas via whatsapp. Caso o familiar não possuía estrutura psíquica para visualizar seu ente querido hospitalizado era sugerido o envio de áudios dos familiares, assim como músicas ou manifestações de espiritualidade. As equipes multiprofissionais também se disponibilizaram a intermediar desabafos dos familiares, passagem de informações até despedidas virtuais antes de um procedimento invasivo com potencial de finitude. Nos casos de desfecho com óbito, as equipes se organizavam emocionalmente para o contato com os familiares, seguindo orientações claras de atenção e cuidado nesta comunicação. Estabelecendo estratégias de suporte e apoio emocional no enlutado. Em muitos casos não era possível a presença física e, a proposta era seguir com as estratégias remotas de despedida.
Era realizado a preparação psicológica dos familiares para este momento pois, trata-se de uma situação que mobiliza múltiplas emoções, e para minimiza-las, torna-se importante realizar acolhimento prévio, assim como orientações gerais sobre o procedimento que a situação requer. Além das atividades rotineiras, foi proposto atenção às equipes, como auxílio em pesquisas de clima e encaminhamentos para acompanhamento no CAPS - Centros de Atenção Psicossocial. Também foi desenvolvido o projeto em conjunto com os palhaços do Nariz Solidário, com o objetivo de humanização nos cuidados com os pacientes e equipes de saúde.

EQUIPE PREPARADA

Treinamentos foram aplicados, visando manter atendimento de qualidade aos pacientes, bem como assegurar um ambiente seguro para prática profissional, foram realizados 220 treinamentos. Foi implantado em conjunto com direção técnica, reuniões diárias desde o início das atividades no Instituto, no intuito de atuar em tempo real nas dificuldades com maior assertividade nas decisões, conforme a evolução do trabalho, utilizou-se como metodologia a frequência de três vezes semanal. Auditorias internas, com premiações para os setores que obtiveram o melhor desempenho foram implementadas, a fim de reforçar e fortalecer as rotinas, diminuindo riscos e promovendo práticas com maior segurança.
Foto: Franklin de Freitas

NIR - NÚCLEO INTERNO DE REGULAÇÃO

Mediante cenário global, ficou incumbido ao NIR fazer a interface com a central de regulação externa, com o mapeamento dos leitos a fim de organizar o fluxo de lotação da instituição, contribuindo com a vazão dos pacientes que esperam internamento hospitalar na rede. No ano de 2020 - 1.259 regulações.

AJUDE A SANTA CASA

Você também pode salvar vidas. Participe!

Conheça e siga nossos perfis nas Redes Sociais

Acompanhe nosso trabalho e fale conosco