Infarto: qual é o risco?

“Acho que vou ter um infarto!” Já ouviu essa frase? Mas isso é muito perigoso? O risco de morte é grande?

Vamos ver isso. Mas antes, vamos lembrar o que é infarto.

Também chamado ataque cardíaco, o infarto acontece quando o sangue não consegue entrar no coração por causa de algum bloqueio. Esse bloqueio pode ser, por exemplo, uma porção de sangue que endurece ou uma placa de gordura. Isso pode matar parte das células que formam o tecido do coração.

E o que acontece na prática? Alguns sinais são:

  • dor no peito, leve ou forte;
  • dor em outras partes do corpo, como braço (geralmente o esquerdo), pescoço e mandíbula;
  • sensação de aperto no peito, por mais de 30 minutos;
  • sensação de queimação no peito, parecida com a azia;
  • desmaio e tontura;
  • vômito;
  • suor frio;
  • ansiedade e agitação, ou excesso de sono;
  • falta de ar.

Sobre morte, o infarto é a segunda doença que mais mata no Brasil, entre aquelas que atingem o coração e os vasos sanguíneos. Em 2021, até setembro, mais de 73 mil pessoas perderam a vida para esse mal. O número só não é maior que o de mortes por AVC.

Por isso, se vir que alguém tem algum dos sinais acima, procure ajuda médica o mais rápido possível. O ideal é chamar uma ambulância.

Mas o melhor caminho é sempre prevenir. Algumas dicas importantes:

  • fazer atividades físicas, como caminhada e ginástica;
  • consumir alimentos ricos em ômega-3, como peixes, sementes e óleo de linhaça e de canola;
  • controlar o consumo de carne vermelha, sal e gorduras;
  • evitar fumar cigarros.

Você pode contar com a equipe de Cardiologia da Santa Casa!

Fontes de referência: Drauzio Varella, Rede D’Or São Luiz (1) (2), Telemedicina Morsch, Tua Saúde, Gazeta do Povo

Compartilhe:

Você também pode gostar destes

Skip to content