A cirurgia plástica como forma de manutenção da autoestima

Após a cirurgia de mastectomia, uma possível solução pode ser a reconstrução mamária.

O mês de outubro, mundialmente conhecido como Outubro Rosa, pelas ações de conscientização e prevenção do câncer de mama e de colo uterino, também visa alertar para a importância do diagnóstico precoce e também de formas de tratamento.

Quando se fala em tratamento, um dos métodos utilizados é a mastectomia – cirurgia de retirada completa de uma ou das duas mamas. Geralmente, esse momento pode ser de muitos questionamentos, angústias e temores por parte do paciente.

Muitas mulheres, por exemplo, se sentem com a autoestima baixa após a cirurgia ou acham que a feminilidade pode ser perdida com a mastectomia. Embora o tratamento seja necessário em muitos casos, a cirurgia plástica pode ser uma alternativa para a reconstrução da mama e tem um papel muito importante para a manutenção da autoestima e diminuição de riscos de problemas psicológicos depois da cirurgia, além de benefícios físicos como a máxima adesão ao tratamento.

De acordo com o médico cirurgião plástico, dr. Dayson Luiz Nicolau dos Santos, chefe do Serviço de Cirurgia Plástica da Santa Casa de Curitiba, as cirurgias reparadoras são indicadas para corrigir as deformidades provocadas pelos tratamentos oncológicos dos vários tipos de câncer, que atingem as mamas. “A cirurgia de reconstrução realmente melhora a autoestima da mulher, pois retira a sensação de “mutilação” física provocada pela mastectomia, fazendo com que aquele “espaço perdido” no tórax devido à retirada das mamas seja novamente preenchido”, enfatiza.

Vale ressaltar que esse procedimento só pode ser realizado com a liberação do médico responsável pelo tratamento, oncologistas ou mastologistas, que acompanham o paciente.

PREVENÇÃO

Há grandes indícios que a prevenção contra o câncer de mama e de colo uterino começa por meio de uma alimentação saudável e nutritiva, com uma prática diária de atividade físicacontrole do peso corporal evitando o consumo de bebida alcoólica. Especificamente, contra o câncer de colo de útero, é necessário vacinar-se contra o HPV.

DIAGNÓSTICO PRECOCE

Nos casos de câncer de mama, 95% dos casos em que a descoberta é feita no início têm a possibilidade de cura. Já para casos de câncer uterino, o diagnóstico precoce pode reverter em quase 100% de chance de cura. “Uma vez que o câncer for diagnosticado precocemente, o tratamento é menos agressivo com chance melhor de cura e com menor necessidade de cirurgias”, comenta.

Para a detecção precoce, o autoexame de mama é o mais indicado. Após os 50 anos, a mamografia de rastreamento é indicada a cada dois anos, de acordo com o Ministério da Saúde, ou conforme a indicação de um profissional de saúde. Nos casos de câncer uterino, o diagnóstico precoce mais recomendado é o preventivo anual, chamado exame Papanicolau.

SANTA CASA

A Santa Casa de Curitiba possui um Serviço de Cirurgia Plástica com profissionais experientes e disponibiliza de tratamentos seguros, modernos e altamente tecnológicos. Além do paciente poder contar com um atendimento psicológico em conjunto com o procedimento de cirurgia plástica. O Serviço atende diversos convênios e também há a opção de pacotes particulares para procedimentos estéticos e reparadores. Para cirurgias reparadoras, o Hospital também atende ao Sistema Único de Saúde (SUS), por meio de encaminhamento da Unidade Básica de Saúde (UBS).

Compartilhe:

Sobre o autor

Comunicação Santa Casa de Curitiba

Com o objetivo de divulgar e levar mais transparência a pacientes, colaboradores, médicos, operadoras de planos de saúde, órgãos públicos e público em geral, a ISCMC conta com uma equipe de Comunicação e Marketing, que é responsável em zelar pela imagem da instituição, que há mais de 140 anos é respeitada e reconhecida em toda a sociedade.

Você também pode gostar destes

Skip to content