Anemia e doação de sangue: Confira a Entrevista com Dr.ª Lenisa Raboni

O mês de junho é pautado por campanhas para alertar a população sobre a anemia e incentivar a doação de sangue. Por isso, no 14 de junho é comemorado Dia Mundial do Doador de Sangue, data criada pela OMS.

A Dr.ª Lenisa Raboni, hematologista da Santa Casa de Curitiba, é a convidada de mais um Bate-Papo Saúde. O vídeo está disponível no canal do YouTube da ISCMC.

Na entrevista, a profissional fala sobre uma condição ligada ao sangue: a anemia. Segundo a OMS, anemia é o baixo nível de hemoglobina no sangue, causado pela falta de nutrientes importantes.

Falta de ferro é a principal causa de anemia

Calcula-se que 90% dos casos de anemia tenham como causa a deficiência de ferro (a chamada anemia ferropriva). Mas por que o ferro é tão importante?

“O ferro é um elemento fundamental na produção das hemácias e da hemoglobina. É o que dá cor vermelha ao sangue”, explica a Dra. Lenisa. “Então é importante você ter um aporte bom de ferro na alimentação e não ter perda crônica de ferro, que seria um sangramento crônico.”

E quais alimentos são fontes de ferro? Segundo a doutora, a principal fonte é a carne vermelha. Ela conta que pacientes vegetarianos procuram outras fontes, como folhas verde-escuras, feijão e lentilha. “Todos esses vão ter uma quantidade de ferro, mas é preciso comer uma quantidade muito maior para se adquirir o que um pedaço de bife faz”, diz.

A médica explica que pessoas vegetarianas ou veganas geralmente conseguem manter o nível. “Mas tem que ter consciência de como repor isso, não achar que uma porção de feijão vai ser a mesma coisa”, ensina.

Como fazer essa reposição? Há alguns cuidados que se pode seguir. Entre eles, selecionar as melhores fontes do mineral, incluir alimentos que melhoram sua absorção e fugir daqueles que a atrapalham.

No exemplo dado pela Dr.ª Lenisa, os sucos cítricos – laranja, limão, acerola – absorvem melhor o ferro. Já alimentos que contêm cálcio levam a pouca absorção. É o caso de se comer carne vermelha com molho branco, feito de leite e queijo.

Quem tem anemia pode se cortar?

Como a hematologista explica, pessoas com anemia têm coagulação normal do sangue. Por isso, se o corte for pequeno, não há nenhum problema. No entanto, uma pessoa com anemia por falta de ferro deve evitar perder sangue demais.

Trazendo como exemplo a menstruação, ela conta que um fator que diminui a perda de ferro por mulheres em idade fértil são os anticoncepcionais. “Mas isso não é fundamental, o fundamental é a suplementação de ferro mesmo”, acrescenta.

As causas mudam com a idade

A anemia é uma condição que pode atingir qualquer pessoa, em qualquer fase da vida. Como explica a Dr.ª Lenisa, há várias causas possíveis, e elas mudam conforme a idade.

“Se você pegar uma paciente em idade fértil, com fluxo menstrual importante, a principal causa vai ser anemia ferropriva mesmo”, conta. “Agora, se pegar uma senhora com 70 anos, que não tem mais fluxo menstrual, provavelmente haverá outras hipóteses.” Ela se refere a doenças dos rins, do fígado e do sangue, sem descartar a própria falta de ferro.

Já o tratamento dependerá da causa da anemia. “Se for por deficiência de ferro, vai ser ferro. Por deficiência de vitamina B12, vai ser vitamina B12. Por leucemia, quimioterapia. Então depende de qual a doença que levou à anemia, muito mais do que da idade”, diz a doutora.

Quando fazer exame de sangue?

Será que isso depende da idade? Dos hábitos? Se a pessoa está em situação de risco, como alguma doença?

“Para pacientes que são jovens ou crianças, só vai ter indicação se tiver algum sintoma. Fraqueza, queda de cabelo, muita palidez”, explica a médica. Outros casos que ela traz são:

  • mulheres com fluxo menstrual intenso;
  • pacientes vegetarianos que não têm bom controle por nutricionista (exame uma vez por ano ou a cada 2 anos);
  • pessoas com mais de 50 anos – já se indica que o cardiologista trabalhe junto com o hematologista.

Se vier algum sintoma, consulte seu médico. Ele verá se é necessário fazer o exame.

Uma condição para todas as áreas médicas

Como já deu para ver, o tratamento da anemia não é só com o hematologista. Segundo a Dr.ª Lenisa, dependendo da causa, um médico de outra área pode ajudar. “Se a causa for insuficiência renal, por exemplo, o nefrologista também é fundamental”, diz ela. “Mas a anemia ferropriva, qualquer médico tem condições de diagnosticar e tratar. Anemia é uma doença de todas as especialidades, todo mundo que é médico vai ter algum paciente com anemia. Depois o hematologista ajuda com a causa e às vezes devolve ao médico original.”

Ter hábitos saudáveis previne?

“Indiretamente, sim”, diz a Dr.ª Lenisa. “São os pilares para se ter uma vida saudável: dormir bem, se alimentar adequadamente, fazer atividade física. Tudo isso vai evitar que você tenha doenças que levem à anemia.”

Anêmicos podem doar sangue?

Segundo a especialista, uma pessoa com anemia não pode doar sangue. Ela conta que esse é um dos testes realizados antes da doação.

Já um paciente que tratou a condição, mas que ainda está carente de ferro, ainda pode doar. “Mas não se recomenda, porque se você sangrou, está perdendo ferro. A doação é um sangramento controlado”, diz ela. “A gente sempre incentiva a doação de sangue, mas que isso seja benéfico tanto para quem vai receber quanto para quem vai doar.”

Ajude a salvar vidas. Inclusive a sua.

Fontes de referência: Oncominas, Biblioteca Virtual em Saúde, Nutriveg

Compartilhe:

Você também pode gostar destes

Skip to content