Soluções para o estresse

“Ai, que estresse!” Quantas vezes você já disse ou ouviu alguém dizer isso? Mas o que é exatamente o estresse?

É um conjunto de reações do corpo a situações que exigem grande esforço emocional para serem superadas. Existem quatro categorias de estresse, cada um com diferentes causas possíveis:

  • Cotidiano: tem relação com acontecimentos da nossa rotina, como nervosismo, problemas de relacionamento, dificuldades no sono e no trabalho, autoestima e questões de saúde.
  • Crítico: está ligado a grandes mudanças e acontecimentos que marcam nossa vida, bons ou ruins. Por exemplo: o nascimento de um filho, um novo emprego, casamento ou acidente.
  • Traumático: está relacionado a traumas e choques emocionais que estão acima da nossa capacidade de adaptação ou superação;
  • Crônico: ligado geralmente a algo que dura mais e que incomoda por mais tempo. Por exemplo: desemprego, trabalho demais e doenças crônicas, como diabetes, lúpus e câncer.

Sintomas do estresse

O estresse em si não é um problema. Trata-se de algo natural do nosso corpo e que faz parte do nosso cotidiano, nos ajudando a nos adaptar a diversas situações. O problema é quando as reações estão em excesso, indo além da capacidade de adaptação ou durando muito tempo. Nesse caso, podem aparecer alguns sintomas físicos, como:

  • queda de cabelo;
  • dor de cabeça frequente;
  • alergias;
  • tensão muscular.

Há ainda algumas doenças causadas pelo estresse, como:

  • problemas no coração e hipertensão;
  • asma;
  • enxaqueca;
  • problemas na pele.

Tratamento

O tratamento para o estresse pode ser feito de três formas:

  • administrar os estressores: identificar, entre as causas do estresse, aquelas que mais afetam o paciente. É preciso aprender a dizer “não” e priorizar a saúde para maior eficácia do tratamento;
  • aumentar a resistência: manter o corpo saudável, física e mentalmente, com medidas como dormir bem, ter alimentação saudável, fazer atividades físicas, ter momentos de prazer e relaxamento e evitar estimulantes (ex.: café) e substâncias tóxicas (ex.: cigarro, drogas, bebidas alcoólicas);
  • mudar a forma como enfrenta o estressor: quando a causa do estresse não pode ser eliminada e a pessoa tem de lidar com ela. Se for algo que vem de fora, como um acidente ou o trânsito, você será capaz de enfrentar sozinho. Mas se vier do seu interior, algo relacionado à sua personalidade, é melhor buscar ajuda profissional, como a de um psicólogo.

Prevenção

As formas de prevenção ao estresse estão inteiramente relacionadas às de tratamento. Além de boa alimentação e atividades físicas, você pode:

  • Procurar rir mais;
  • dormir melhor;
  • respirar corretamente;
  • autoincentivar-se;
  • usar o celular com moderação;
  • buscar novas maneiras de aproveitar o tempo;
  • compartilhar suas necessidades e preocupações;
  • não ter vergonha de pedir ajuda se achar necessário.

Fontes de referência: Tua Saúde, Zenklub, Minuto Saudável, Hospital Israelita Albert Einstein, Idosos.com.br

Compartilhe:

Você também pode gostar destes

Skip to content