Gorduras trans: por que são tão perigosas?

Você já deve ter lido em várias embalagens de alimentos: “0% de gordura trans”, ou coisa parecida. Mas por que é tão necessário garantir que essa gordura não está presente?

Antes de tudo, é preciso entender a diferença entre os tipos de gordura. Existem as gorduras saturadas, que aumentam o nível do mau colesterol e devem ser consumidas em nível moderado. Já as insaturadas, divididas em mono e poli-insaturadas, fazem exatamente o contrário das saturadas.

Chegamos então às gorduras transaturadas, ou apenas trans. Além de aumentar o colesterol ruim, elas podem diminuir o bom colesterol.

Essas gorduras podem existir naturalmente em produtos de origem animal, como leites e carnes, mas em pequenas quantidades. As que merecem atenção são produto da indústria. Foram por muito tempo ingrediente comum em salgadinhos, biscoitos e outras guloseimas.

Hoje, as principais marcas não usam mais as trans, mas há marcas menores que ainda não conseguiram se livrar delas. Essas marcas só devem incluir o índice da gordura na tabela nutricional se este for maior ou igual a 0,2 grama por porção, segundo resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Voltamos às embalagens de alimentos que dizem que o produto não tem gordura trans. Cuidado, elas podem estar lhe enganando. O que dizem, na verdade, é que o índice da gordura por porção está abaixo do tal 0,2 grama. Só que a porção de referência é muitas vezes pequena – por exemplo, dois biscoitos. Se você come seis, por exemplo, isso pode lhe fazer mal.

A dica é conferir a lista de ingredientes. Verifique se há um dos seguintes itens: gordura hidrogenada, óleo vegetal hidrogenado e gordura parcialmente hidrogenada.

Quais são os perigos e como evitá-los?

Diminuindo o bom colesterol (HDL) e aumentando o ruim (LDL), a gordura trans eleva o risco de doenças do coração e vasos sanguíneos, como infartos, derrames, AVCs e trombose. Também são maiores as chances de excesso de peso e obesidade, pois aumenta o nível de gordura na região da barriga.

Alguns alimentos que podem conter a gordura são:

  • margarina;
  • biscoito recheado;
  • salgadinho de pacote;
  • salgados de festa;
  • comida congelada;
  • macarrão instantâneo;
  • sopas em pó;
  • sorvetes e coberturas;
  • pães;
  • bolos e tortas;
  • pipoca de micro-ondas.

O que a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda é que as gorduras trans representem até 1% da dieta. Por exemplo, em uma dieta de 2 mil calorias, o máximo a se consumir é de 2,2 gramas.

Você não precisa eliminar completamente tudo de que gosta. Apenas evite exageros.

Fontes de referência: SPDM, Veja Saúde, Nutricionista Shemeli Konrad, Coração & Vida, OMS, hcor, Vhita, Gineco

Compartilhe:

Você também pode gostar destes