Transplantes

Transplante

O transplante é um procedimento cirúrgico que consiste na reposição de um órgão (coração, pulmão, rim, pâncreas, fígado) ou tecido (medula óssea, ossos, córneas) de uma pessoa doente (receptor), por outro órgão ou tecido normal de um doador vivo ou morto.

REFERÊNCIA EM

Transplantes

No Brasil a realização de transplante de órgãos começou em 1964 no Rio de Janeiro e é regulamentada pela Lei 9.434 de 4 de fevereiro de 1997 e pela Lei 10.211 de 23 de março de 2001 que determinam que a doação de órgãos e tecidos pode ocorrer em duas situações: de doador vivo com até 4º grau de parentesco desde que não haja prejuízo para o doador; e de um doador morto, que deve ser autorizada por escrito por um familiar até 2º grau de parentesco. O transplante é um procedimento cirúrgico que consiste na reposição de um órgão (coração, pulmão, rim, pâncreas, fígado) ou tecido (medula óssea, ossos, córneas) de uma pessoa doente (receptor), por outro órgão ou tecido normal de um doador vivo ou morto. O Hospital Santa Casa é credenciado para o transplante de coração, rim, córnea, tecido ósseo e valva cardíaca. O enfermeiro do transplante é responsável por promover os cuidados de enfermagem a candidatos e receptores, aos doadores de órgãos vivos e falecidos e seus familiares ou cuidadores. Tem a função de gerenciar o programa de transplante, coordenando as diversas etapas que compõem o período peri operatório a longo prazo, além de promover o cuidado a candidatos e receptores quando necessário e realizar o acompanhamento pós transplante. Realiza as atividades em contato com a Central de Transplantes do Paraná e atividades de educação continuada para garantir uma assistência com qualidade aos pacientes. O enfermeiro desempenha papel crucial no estabelecimento de um programa de transplante de sucesso. É membro vital da equipe que tem objetivo precípuo de prestar cuidado de qualidade a pacientes e familiares.
Transplantes 2020
Córnea 6
Renal 38
Cardíaco 6
Sobrevida Transplante Renal 89,50%
Sobrevida Transplante Cardíaco 66,70%
Valva Cardíaca 2
Tecido Ósseo 1

Transplantes na Pandemia

Segundo a Associação Brasileira de Transplante de Órgãos (ABTO), as doações e transplantes de rim, fígado, pâncreas, coração e pulmões foram as mais afetadas. A entidade atribui a queda de procedimentos a fatores como o medo de pacientes e de doadores de se contaminarem, a falta de leitos de UTI e a suspensão de voos para transportar órgãos. A partir da nota técnica 34/2020, a Anvisa descreve as normas para transplantes de órgão e tecidos e os critérios de avaliação de doadores vivos e falecidos. Como principal contraindicação absoluta na captação de órgãos está a confirmação de infecção pelo Sars-Cov-2 ou por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS). Devido ao cenário da pandemia as equipes de transplante da instituição adotaram medidas para minimizar os riscos de contagio e/ou transmissão da COVID-19, aos receptores:

AÇÕES DESENVOLVIDAS

Em 2020 foram realizados 20 treinamentos para equipe assistencial, com um total de 298 participantes. Com a finalidade de prestar um atendimento de qualidade aos pacientes do transplante, foram treinados equipes das UTIs e multidisciplinar.
0

Treinamentos

REALIZADOS EM 2020

COMISSÃO INTRA-HOSPITALAR PARA DOAÇÃO DE ÓRGÃOS E TECIDOS PARA TRANSPLANTE

(CIHDOTT)

A Comissão Intra-Hospitalar para Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante (CIHDOTT) foi criada por meio da Portaria GM/MS nº 1.752/2005, como estratégia para qualificar os processos relativos à doação de órgãos e tecidos para fins de transplante, estabelecendo a obrigatoriedade de instituir a comissão em hospitais com mais de 80 leitos. Em 21 de outubro de 2009 o Ministério da Saúde aprovou o Regulamento Técnico do Sistema Nacional de Transplantes (SNT), através da Portaria GM/MS 2600/2009, agora Portaria de Consolidação GM/MS 04/2017, que visa fundamentalmente organizar todo o processo de doação e transplante, a procura e as notificações de potenciais doadores de órgãos e tecidos nas instituições hospitalares, além de definir as atribuições da CIHDOTT, das quais muitas em corresponsabilidade com a Organização de Procura de Órgãos (OPO), e, sob acompanhamento constante da Central Estadual de Transplantes (CET). A CIHDOTT do Hospital Santa Casa de Curitiba é constituída por médico intensivista, enfermeiros, fisioterapeuta, assistentes sociais e psicólogo. São realizadas reuniões mensais para planejamento e discussão de ações, com finalidade de assegurar uma melhor organização em todo o processo de captação de órgãos e tecidos, realizar a identificação dos potenciais doadores, promover a entrevista familiar, bem como dar apoio aos familiares e viabilizar a captação de órgãos e tecidos junto a Central Estadual de Transplante. São realizados treinamentos para os colaboradores sobre a doação de órgãos. No ano de 2020, de janeiro a outubro, foram realizados 62 treinamentos para os colaboradores do Hospital, com temas abordando a doação de órgãos. O Dia Nacional de Doação de Órgãos e Tecidos é celebrado no dia 27 de setembro e para comemorar essa data, foram realizadas ações com o objetivo de conscientizar a população em geral sobre a importância de ser doador de órgãos, com o intuito de ajudar a milhares de pessoas que lutam por uma oportunidade de salvarem as suas vidas.
Quando a pessoa manifesta seu desejo de ser doador em vida, a família se esforça ao máximo para cumprir esse desejo, porém, se esse assunto nunca foi discutido, fica mais difícil ter esse gesto de generosidade na hora da perda. A semana do doador de órgãos foi organizada pela enfermeira da CIHDOTT, com apoio do Setor de Transplante e do Grupo de Humanização. Em 2020 essa semana foi comemorada de uma forma diferente. Devido a pandemia, os pacientes transplantados não puderam vir até o hospital para participar do evento. Sendo assim, foi planejado e desenvolvido um vídeo, com auxílio do Setor de Comunicação, para transmitir à população a importância da doação de órgãos. O vídeo foi divulgado nas redes sociais da instituição e demonstrou mensagens dos nossos pacientes transplantados. Na mesma semana foram realizadas Palestras Informativas sobre o processo de doação para orientação e momento de descontração, respeitando o limite de colaboradores na sala e o distanciamento social. Para marcar a importância da comemoração e chamar a atenção da população, a fachada do Hospital Santa Casa foi iluminada na cor verde, que simboliza esta ação e foi montado um arco de bexigas na entrada principal da instituição. Foi distribuído gelatinas verdes com uma TAG aos colaboradores que utilizam o refeitório e pacientes internados para incentivar o diálogo entre as pessoas e seus familiares sobre doação de órgãos e manifestar desejo em vida.

AJUDE A SANTA CASA

Você também pode salvar vidas. Participe!

Conheça e siga nossos perfis nas Redes Sociais

Acompanhe nosso trabalho e fale conosco