Página Principal/Sem categoria/Em programa do Ministério da Saúde, Santa Casa reduz índice de infecções em UTI

Em programa do Ministério da Saúde, Santa Casa reduz índice de infecções em UTI

O número foi contabilizado durante o período de um ano
por , 26 de março de 2019

Um relatório divulgado pelo Ministério da Saúde com os resultados do projeto “Melhorando a Segurança do Paciente em Larga Escala no Brasil”, mostrou que, durante um ano e meio do programa, foram evitadas 1.715 infecções hospitalares em todo o Brasil. Um dos hospitais participantes do projeto, desde dezembro de 2017, a Santa Casa de Curitiba conseguiu manter em zero o índice das infecções primárias de Corrente Sanguínea Laboratorial e de Trato Urinário durante o período de um ano na UTI, unidade onde os casos de infecção são mais comuns. Além desses números, após a implantação do programa dentro do hospital, casos de Pneumonia Associada à Ventilação (PAV) diminuíram em 21,35%, e o índice global de infecção relacionada à assistência diminuiu de 2,7% para 1,6%.

NÚMEROS DO BRASIL

Quando se fala em 1.715 infecções evitadas, convertidas em pacientes, o número se mostra ainda mais significativo, pois isso representa 558 vidas salvas neste período em todo o Brasil. No entanto, a meta é reduzir em 50% a incidência de infecções até o ano de 2020.

Ainda conforme o relatório disponibilizado, a taxa estimada de infecções hospitalares, nas internações hospitalares, é de 14%. A maioria dos casos é provocada por micro-organismos presentes no meio ambiente ou no próprio paciente e que se aproveitam de sua baixa imunidade. No entanto, geralmente são transmitidas pelas mãos dos profissionais de saúde ou do acompanhante, por equipamentos invasivos e até mesmo por contato com outros pacientes. Por isso, uma das principais maneiras de prevenção é o ato de higienizar adequadamente as mãos e os equipamentos, justamente por essas principais formas de transmissão.

AÇÕES DENTRO DO HOSPITAL

Dentro desse período em que o hospital participa do programa foram feitas diversas adequações e implantações dentro dos processos que incluem os serviços da unidade, em especial a UTI Cardiológica – setor que está sendo usado como piloto para as práticas. Confira algumas dessas ações:

Higiene oral – foi adequada a técnica de higiene que era realizada anteriormente para o uso de escovas, o que melhorou o processo.

Cufômetros – foram adquiridos aparelhos que servem para medir os parâmetros de pressão do cuff em pacientes que estão em ventilação mecânica, ajudando na diminuição de infecções como a PAV e também o risco de broncoaspiração. Além da aquisição, também foi realizado um treinamento para os colaboradores utilizam os dispositivos.

Scrub The Hub (SWAB) – começou a ser utilizado um lenço umedecido com álcool 70 antes e depois do manuseio do cateter para a administração de medicamentos, aumentando a segurança do paciente.

Álcool gel à beira leito – literalmente, o produto fica próximo à cama, facilitando o acesso em todos os momentos em que é preconizada a higienização das mãos.

Balança para fraudas – foram recebidas balanças para a pesagem de fraudas, que quantificam a urina dos pacientes, evitando o uso de sondas, o que diminui o número de infecções.

Padronização de sondas – foi feita a padronização da fixação de sonda vesical, que diminui o risco de tração. Este caso foi visto como exemplo a ser seguido em outros hospitais.

Visitas multidisciplinares – uma equipe multidisciplinar visita os pacientes e/ou familiares com informações pertinentes sobre o plano terapêutico. Participam os seguintes profissionais: médico, enfermeiro, técnico de enfermagem, fisioterapeuta, nutricionista, psicólogo, fonoaudiólogo, farmacêutico e Núcleo de Epidemiologia e Controle de Infecção Hospitalar (NECIH).

Visitas estendidas – habitualmente, as famílias de pacientes internados nas UTIs da Santa Casa têm horários especificados e limitados para visitas. Uma das ações realizadas após o projeto foi a visita estendida, que após uma avaliação feita com a família e a equipe multidisciplinar, aumentou o tempo normal. A intenção é fazer com que os acompanhantes passem mais tempo com o paciente e participe mais do plano terapêutico do seu ente querido ou amigo.

Verificação de itens – são verificados os itens de prevenção de infecção do check-list, com relação aos dispositivos: ventilação mecânica, cateter venoso central e cateter vesical de demora, à beira leito. Quando possível, essa verificação é feita em frente à família e ao paciente.

O PROJETO

Com o tema “Melhorando a Segurança do Paciente em Larga Escala no Brasil”, o projeto é desenvolvido pelo Ministério da Saúde, em parceria com os cinco hospitais de excelência que participam do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do SUS (PROADI-SUS): Sírio-Libanês (SP), Israelita Albert Einstein (SP), Alemão Oswaldo Cruz (SP), Hospital do Coração (SP) e Moinhos de Vento (RS). Também participa o Institute for Healthcare Improvement (IHI), que é referência na melhor prática de saúde para o paciente aplicada no mundo inteiro para evitar óbitos a partir do respeito às práticas seguras. O principal objetivo é reduzir as principais infecções relacionadas à assistência à saúde (IRAS). O hospital referência da Santa Casa de Curitiba tem sido o Albert Einstein, onde são realizadas visitas periódicas.

 

Compartilhe

Deixe um comentário

XHTML: Você pode utilizar as seguintes tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>