Página Principal/Sem categoria/Câncer do colo do útero: saiba como prevenir

Câncer do colo do útero: saiba como prevenir

por , 5 de janeiro de 2021

Saiba mais sobre prevenção, sintomas e tratamentos deste que é o quarto tumor maligno com maior incidência no país

O câncer do colo do útero é o quarto tipo de tumor maligno com maior incidência em mulheres no Brasil, segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA). Ele é causado pela infecção de HPV (papilomavírus humano), principalmente quando são subtipos oncogênicos.

A infecção de HPV é bastante comum no país e em alguns casos ela evolui para o câncer. “São pelo menos 14 tipos de HPV, que têm o potencial de causar câncer de colo, mas em pelo menos 70% dos casos, os subtipos HPV-16 e HPV-18 são os maiores responsáveis por esse câncer”, explica a médica Ginecologista e Obstetra Dra. Luiza Sviesk Sprung, do Hospital Santa Casa de Curitiba.

No entanto, é possível prevenir a infecção e, consequentemente, diminuir as chances de desenvolver o tumor maligno. De acordo com a médica, como o câncer é causado pela infecção transmitida pela relação sexual, uma das formas de prevenção é o uso de preservativos em todas as relações.

Além disso, também existe a vacina que previne a infecção, disponibilizada pelo Sistema Único de Saúde (SUS), feita em meninas de 9 a 14 anos e em meninos de 11 a 14 anos de idade.  “Ela também é ofertada no SUS para pacientes transplantados de órgãos sólidos (coração, pulmão, rim, pâncreas e fígado), de medula óssea, com HIV/AIDS, e pacientes oncológicos do sexo feminino e masculino na faixa etária de 9 a 26 anos de idade”, completa.

A Dra. Luiza esclarece ainda que alguns fatores podem influenciar mais a ocorrência do câncer de colo uterino. Veja quais são: relações desprotegidas, início precoce da atividade sexual, múltiplas parcerias sexuais, uso de bebidas alcoólicas e tabagismo, situações que diminuem a imunidade, como o período gestacional, pacientes em uso de imunossupressor, submetidos a transplante e pacientes com AIDS.

SINTOMAS, QUAIS SÃO?

Muitas pessoas são assintomáticas, mas mesmo sem apresentar os sintomas, o indivíduo pode possuir o vírus ou até mesmo manifestar os sinais após algum tempo da infecção. “Em estágios mais avançados, pode haver sangramento durante a relação sexual, dor na relação, dor abdominal ou pélvica e outros que dependerão do grau de invasão e agressividade do tumor”, comenta.

COMO DIAGNOSTICAR E TRATAR?

Por meio da coleta do exame Papanicolau é possível rastrear e diagnosticar precocemente as infecções pelo HPV no colo do útero. O exame deve ser feito, de forma geral, anualmente, sendo iniciado três anos após o primeiro contato sexual, independentemente do tipo de contato. 

Já o tratamento depende do tipo e do grau de invasão do tumor. “Pode variar de retirada de pequena parte do colo do útero, até cirurgias, quimioterapia, radioterapia e outros tratamentos específicos”, esclarece a ginecologista.

JANEIRO VERDE

Este mês é lembrado como o janeiro verde, que visa conscientizar e promover saúde, por meio de informações sobre o câncer do colo do útero. Para a Dra. Luiza, é muito importante campanhas que alertam a população sobre o perigo de algumas doenças e incentivam o rastreamento e o diagnóstico precoce. “A campanha se torna eficaz quando há divulgação e alcança o maior número de pessoas, causando um impacto social e ajudando pessoas a mudar comportamentos e a buscar cuidar da própria saúde”, enfatiza.

Compartilhe

Deixe um comentário

XHTML: Você pode utilizar as seguintes tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>